Arquivo

Archive for outubro \26\UTC 2010

Investimentos

Dando sequência aos posts sobre finanças, hoje vou falar um pouco sobre investimentos.
Como citado no post anterior sobre finanças pessoais, comentei que aproximadamente 55% da minha receita mensal, é investida.

O que é investimento?
 Investir significa aplicar um determinado capital em algum meio que lhe proporcione o aumento deste capital.

Quais são as opções de investimentos?
 Existe inumeras maneiras de se investir, vou falar sobre investimento financeiro.
 Hoje no mercado, existem inumeras opções de investimentos financeiros, vou dividi-los na seguinte forma:
  – Renda fixa: são ativos cuja remuneração ou retorno de capital pode ser dimensionado no momento da aplicação. Os títulos de renda fixa são públicos ou privados, conferme a entidade ou empresa que os emite. Ex.: poupança, tesouro direto (títulos do governo), CDB, debêntures, etc.
  – Renda variável: são ativos cuja remuneração ou retorno de capital não pode ser dimensionado no momento da aplicação, negociados nas bolsas de valores, de mercadorias e futuros. Ex.: ações da Petrobrás, Vale, ouro.

Hoje meus investimentos estão distribuidos como segue o gráfico abaixo:

Na renda fixa, tenho apenas dois investimentos:
 – Poupança: a velha e famosa caderneta de poupança que todos nós conhecemos.
 – Tesouro direto (títulos do governo): títulos de renda fixa emitidos pelo governo para saldar dívidas, investir no país, etc.

Na renda variável, meu portfólio é mostrado abaixo:

São ações visando o longo prazo. Meus critérios de seleção são baseados na análise técnica.

Preciso diversificar mais meus investimentos, principalmente minhas ações, estou fazendo isso aos poucos, estou dando prioridade ao meu fundo de emergência.

E vocês? Já investem? Como está dividido os seus investimentos?

Forte abraço a todos.

Anúncios
Categorias:Finanças

Capacidade de persuasão

Hoje vou falar da importância da persuasçao para o empreendedor.

A palavra persuadir significa aconselhar, levar alguém a uma opinião.
Uma pessoa convencida pode ou não agir de acordo com as idéias de quem lhe convenceu, mas uma pessoa persuadida, mesmo não concordando inteiramente com o persuador, acaba fazendo o que este lhe pediu, de livre e espontânea vontade.
Portanto, persuadir é fazer alguém agir de acordo com seus ideais, a persuasão apela para a vontade e para as emoções das pessoas, enquanto o convencimento apela à inteligência e à razão.

Como persuadir uma pessoa?
Devemos sempre conquistar uma pessoa utilizando uma comunicação agradável, com um relacionamento de empatia e ao mesmo tempo apelando para suas emoções e vontade.

Quais são as técnicas para tornar-se persuasivo?
Existem pessoas que se guiam mais pela vontade, outras pela sensibilidade e inteligência, por tanto Aristóteles defende que devemos apelar para esses três aspectos da psicologia humana, dando ênfase naquele em que a pessoa for mais influenciável.

Sabendo de tudo isso, observamos que é de suma importância para um empreendedor, desenvolver sua capacidade de persuasão, munir-se de auto-confiança e capacidade de argumentação para convencer nossos clientes, fornecedores, parceiros e instituições financeiras de que nosso produto é viável e acreditamos na nossa idéia.

Forte abraço a todos!

Chefe x Líder

Hoje vou comentar sobre a diferença entre um chefe e um líder.

Antigamento, existiam os funcionários que eram pagos para trabalhar, cumprir suas funções e obedecer chefes. Com a globalização, o sistema de trabalho mudou, ou seja, cada colaborador é dono do seu próprio espaço e ao lado dele está o líder para facilitar a vida de todo mundo.
O problema é que a maioria das empresas, não tem líderes, apenas chefes que detém somente uma posição hierárquica superiror nas organizações.

O americano Barry Woolf, do American Institute of Management & Development eloborou uma lista com a diferença entre chefes e líderes.

  • O chefe conduz as pessoas, o líder aconselha
  • O chefe inspira medo, o líder entusiamos
  • O chefe diz “eu”, o líder, “nós”</li>
  • O chefe se preocupa com coisas, o líder, com pessoas
  • O chefe colhe os louros, o líder os distribui
  • O chefe enxerga o hoje, o líder contempla o amanhã

O líder tem uma equipe unida todo o tempo, sabe exatamente a função de cada um e o resultado que vai atingir ao liderar essa equipe. Quando um colaborador não está fazendo bem a sua função, ele vai orientá-lo e ajudá-lo, sempre como objetivo principal à equipe.

A maioria das pessoas seguiria um líder que fosse honesto, antecipador dos acontecimentos, inspirador e competente.

A liderança seria um dom reservado a poucos de nós?
Não, isso é um mito que envolve o tema! A liderança é um conjunto de práticas que se pode observar e aprender.

E você? O que faz para ser um exemplo? Aliás, você se considera um líder?

Categorias:Empreendedorismo

Concorrentes

Olá a todos, primeiramente gostaria de pedir desculpas pela falta de atualização, estive fora no feriado e depois que voltei precisei de um tempo para resolver alguns problemas pessoais.

Mas hoje vou dar continuidade ao nosso cronograma, hoje vou falar sobre a concorrência.

O que é um concorrente?
São empresas que atuam no mesmo ramo de atividade que você e que buscam satisfazer as necessidades dos seus clientes.

Os concorrentes por sua vez, são dividos em dois tipos:
Concorrentes diretos: possuem um produto iguao ao seu, visando a mesma fatia de público que a sua empresa.
Concorrentes indiretos: são aquelas empresas que possuem produtos semelhantes, mas que acabam diminuindo a demanda pelo produto que você quer vender, ou seja, disputam o mesmo tipo de consumidor.

É muito importante conhecer os seus concorrentes, podendo identificar os seus pontos fortes e fracos, podendo utiliza-los como estratégia para atingir o mercado.

Sua pesquisa deve ser capaz de responder as seguintes perguntas:
– Sua empresa poderá competir com as outras que já estão há mais tempo no ramo?
– O que fará com que as pessoas deixem de ir aos concorrentes para comprar na sua empresa?
– Há espaço para todos, incluindo você? Se a resposta for sim, explique os motivos, caso contrário, quais mudanças devem ser feitas para você concorrer em igualdade com essas empresas?

Para criar nosso relatório, precisamos considerar algumas informações:
Concorrentes: relacionar os nomes dos concorrentes, da pessoa entrevistada e do cargo ocupado.
Características: fazer a relação das principais características de cada concorrente, como tempo de atuação no mercado, faturamento, porte, localização, principais mercados que atua, etc.
Pontos fortes: indetificar os fatos que ao seu ver, representam uma vantagem competitiva para cada um dos concorrentes.
Pontos fracos: identificar os pontos que você considera mais frágeis de cada concorrente.
Estratégia de marketing: são ações a serem implementadas de acordo com as análises dos pontos fortes e fracos de cada concorrente, permitindo o empreendedor a posicionar sua empresa de forma favorável no mercado.
Custos: estimar o montante de recurso necessário para implantar as estrtégias de marketing.
Benefícios: ao propor estratégias, o empreendedor deverá estabelecer a relação custo/benefício para a sua empresa.

A partir das informações acima, podemos regar nosso roteiro de entrevista.
Damos sempre prioridade a entrevistas pessoais, mas se for o caso, a entrevista pode ser realizada por telefone. O artificio para ser recebido, depende de cada caso e depende muito das habilidades do empreendedor.

Para visualizar nosso roteiro, clique aqui.

Você deve estar se perguntando: Quantos concorrentes pesquisar?
Pesquisei e não encontrei uma fórmula para saber quantos concorrentes considerar em uma pesquisa, se alguém conhecer, favor comentar. No meu caso em particular, é muito díficil e caro pesquisar todos os meus concorrentes, pois são muitos produtores rurais e empresas agrícolas, para facilitar, irei dividí-los da seguinte forma:
– Concorrentes diretos: empresas e produtores rurais que trabalham sob o sistema orgânico.
– Concorrentes indiretos: empresas e produtores rurais que trabalham sob o sistema convencional ou transgênico.

Lembre-se sempre que a concorrência deve ser vista como uma situação favorável. Bons concorrentes servem como parâmetro de comparação e de parceria, além de ser uma fonte de estímulo à melhoria.

Concluindo minha pesquisa, irei compartilhar com vocês todo o processo e dificuldades.

E você, já identificou os seus concorrentes? Quais estratégias está tomando para sobressair?

Forte abraço a todos.

Categorias:Empreendedorismo

Reserva Financeira

Criar e manter um fundo de emergência é importante para qualquer pessoa e qualquer empresa, mas poucos o levam a sério!
Você já se perguntou quantos meses a sua empresa sobreviverá (sem nenhuma alteração em sua estrutura) se você não vender nada? Se um cliente não pagar suas contas em dia?

A criação de um fundo de emergência é uma das estratégias mais importantes para se adotar em uma empresa ou na sua vida pessoal para termos uma vida financeira saudável.

Por que é que ter um Fundo de Emergência é crucial para a saúde financeira de uma empresa?
– Dívidas: quando surgir algum gasto inesperado podemos recorrer a esse fundo ao invés de recorrer ao emprestismo ou cartão de crédito.
– Orçamento equilibrado: recorrendo ao fundo de emergência, não precisará mexer no seu orçamento mensal.
– Juros de mora: evitamos pagar contas atrasadas ou de ter um saldo negativo na conta bancária.
– Adiantamento de contas: possibilidade de conseguir descontos pagando as contas antes do vencimento.

Comece pequeno, se não conseguir colocar em seu fundo uma grande quantia por mês, coloque o que você conseguir. Independente do valor, o importante é começar o seu fundo aos poucos e ir aumentando de acordo com o orçamento.

Planeje sempre o seu orçamento para que assim você tenha idéia da sua real necessidade e não comprometa o seu orçamento para criar o fundo, não fazendo sentido os seus esforços.

Nas finanças pessoais minha e da minha namorada, definimos como meta criar um fundo de emergência que cubra 6 (seis) meses do valor definido para passarmos os meses. Para obter esse valor, todo mês é calculado 10% do valor destinado a investimentos para o fundo de emergência.

Onde depositar o fundo de emergência?

Não pense que o fundo de emergência é um dinheiro “parado” e que o mesmo poderia ser utilizado para outros fins, você dará valor somente quando precisar!

Não deixe o dinheiro do fundo guardado “embaixo do colchão”. Deposite o seu fundo em aplicações com alta liquidez, ou seja, alta capacidade de ser convertido em dinheiro. A opção que adotei foi depositar 2 (dois) meses na poupança e os outros 4 (quatro) meses em Tesouro Direto, assim obtenho juros com o dinheiro utilizado para cobrir despesas de emergência.

E você? Já pensou em criar um fundo de emergência pessoal ou para a sua empresa? Já possui um? Quais são as suas estratégias?

Forte abraço a todos.

Categorias:Finanças

Finanças Pessoais

No último post, iniciei uma nova categoria de finanças aqui no blog e é sobre este assunto que eu vou falar hoje. Vou falar um pouco sobre como organizo as minhas finanças.

Eu sou suspeito para falar sobre finanças, sou totalmente organizado quanto a isso, tenho uma planilha que lanço os meus gastos com tudo, desde o dinheiro dado ao rapaz que olha carro na rua!

Os lançamentos são dividios em duas categorias principais:
– Receitas: todo dinheiro que entra (salário, lucro de alguma aplicação financeira, 13º salário, etc…);
– Despesas: todo o dinheiro que sai da minha conta para pagar determinada conta ou algum “mimo”.

As depesas, são dividas em outras 4 (quatro) despesas:
– Despesas Fixas: aqui entra despesas que devem ser pagas todos os meses e o seu valor não muda. Ex.: pós-graduação, plano de saúde, academia, taxas do banco. Nessa divisão de despesa também entra despesas que são pagas anualmente, porém essas despesas são divididas por mês, depositados na poupança. Ex. Seguro do carro, IPVA, CRP, Licenciamento, Seguro Obrigatório.
– Despesas Variáveis: São despesas que devem ser pagas todo mês mas com um pouco de ajuste podem ser reduzidas. Ex.: Internet, Conta de Telefone, Celular, Combustível…
– Despesas: Adicionais: São despesas que não precisam ocorrer todo mês. Ex.: Balada, Roupa, Video-game.
– Despesas Extras: São despesas não planejadas. Ex.: Manutenção do carro, multas, remédios.

Cada despesa por sua vez, é divida em centros de custo. Ex.: Transporte, Alimentação, Transporte, Habitação, etc.

Para o controle mensal, planejo a receita e um valor fixo (aproximadamente 45% da receita) que será utilizado para os meus gastos e da minha namorada. Os gastos são distribuidos por centro de custo. O restante da receita, 55%, é investido (assunto para outro post).

Realizo os lançamentos aproximadamente 3 (três) vezes por semana, depois de lançar verifico se o dinheiro na carteira mais o dinheiro na conta bancária é realmente o valor que tenho de salto na planilha.

No meu relacionamento, tratamos o dinheiro dos dois como sendo do casal, ou seja, o que ela ganha (independente de ser mais ou menos) e o que eu ganho, é tratado como nosso e vamos gastando tento em vista o nosso planejamento.

E o que isso tem haver com a nossa Empresa?

Assim como é fundamental organizar nossas finanças, toda empresa precisa ter suas finanças organizadas, caso contrário, a falência é conseqüência da falta de organização.

E você? Como controla suas finanças ou a da sua Empresa?

Abraço a todos.

Categorias:Finanças

Empreendedor x Dinheiro

Hoje vou começar o post com uma pergunta:
Para se iniciar um negócio é necessário o empreendedor possuir dinheiro?

A resposta para essa pergunta depende muito do ponto de vista, na minha maneira de analisar a questão, eu vejo que o dinheiro para iniciar o negócio é fundamental, mas caso o empreendedor não possua capital para iniciar sua empreitada, ele não pode desanimar.

Com um bom Plano de Negócios e capacidade de buscar recursos, fica mais fácil de obter dinheiro. O dinheiro virá na proporção do talento.

Algumas maneiras para se levantar capital:

  • Financiamentos junto a instituições financeiras: Bancos.
  • Investidor anjo: Profissionais que aplicam seu próprio capital e experiência em empresas nascentes.
  • Capital de Risco: Empresa ou pessoa de investimentos que compram participações em projetos/empresas.

O dinheiro para o empreendedor é apenas uma ferramenta para realizar o seu sonho.

O verdadeiro empreendedor, mesmo depois de ganhar bilhões de reais, irá iniciar uma nova visão para construir uma nova empresa.

Com a Empresa que estou planejando montar, pretendo apresentar a grupos de investimentos que se intitulam por Capital de Risco, mas não posso depender apenas deles e por isso separo boa parte dos meus rendimentos em aplicações financeiras. Se não arrisco aplicar meu dinheiro na minha própria empresa, quem mais arriscaria?

Com esse post, inicio uma nova categoria de Finanças, vou tentar postar como faço para investir meu dinheiro e levantar capital próprio na Empresa.

Forte abraço a todos.

Categorias:Finanças